Na sua fundação, em 1985, o FIDES “assentou arraiais” no Centro Social de Valbom, então ainda por terminar. Durante alguns anos dispôs de um estrado, colocado no sítio onde ainda hoje se encontra, abaixo e ao lado do palco, e de uma pequena sala, que servia quer para a Direção, quer para arrumos dos seus parcos haveres.

Quando se constituiu formalmente a Associação “Coral Fides – Orfeão de Valbom”, a sede legal passou a ser ligeiramente ao lado, em casa do sr. António Fernando.  Foi assim porque, ao contrário do que nós pretendíamos, não era possível indicar apenas a localidade, mas era exigido uma morada concreta.

Depois da “zanga” que nos levou a sair do Centro Social, passamos para uma sala no Edifício Mafavis, ali mais abaixo, que transformamos na nossa primeira sala de exposições.  Por ali passaram vários pintores, com o Prof. Abílio Guimarães à cabeça.  Pagávamos então uma renda de 40 contos.  Mas como não tinha espaço para ensaiar, devido às suas dimensões, andamos por alguns poisos temporários, como a Fábrica dos Giestas, até nos fixarmos algum tempo no Centro Infantil de Valbom.  Nessa altura, já tinhamos trocado a sala no Mafavis por outra mesmo em frente ao Centro Infantil, e procurávamos afanosamente um local onde construir o projecto que nos alimentava então os sonhos: a Escola Cultural do FIDES.

Surgiu então a hipótese de a Câmara nos ceder um terreno mais ou menos abandonado, um antigo jardim infantil, ali numa zona habitacional não muito longe da rua principal, na Giesta, na Rua Ferreira de Castro.  Como ainda não havia dinheiro para mais, optamos por arranjar dois pavilhões pré-fabricados, resultantes de obras numa escola, que servisse para as primeiras impressões, enquanto se ultimavam os projectos definitivos para o local.  Já então, o espólio cultural e material (sobretudo de som e luzes) da Associação era grande, e estava espalhado pelas casas de diversas pessoas.

Após um primeiro projecto, desenhado para nós pelo Gabinete de Arquitectura Joaquim Bragança & Mário Marques, que se revelou demasiado ambicioso financeiramente para as possibilidades de uma Associação então com poucos anos, inserida numa freguesia que conta com quase 50 agremiações culturais e desportivas, mantivemos os pavilhões pré-fabricados, que ainda hoje albergam um sonho que excede os 100 m2 do espaço do terreno.

A sede do FIDES – Orfeão de Valbom foi inaugurada em setembro de 1997, pelo Major Valentim Loureiro, presidente da CMG, e benzida pelo Rev. Pe. Manuel Paiva, com a presença de diversas individualidades e de numerosos amigos.

De 1999 para cá, tem a sede sido alvo de diversas intervenções e acrescentos, que visam melhorar o conforto e a funcionalidade das diversas valências daquele espaço.

As últimas obras foram concluídas em Janeiro, tendo-se procedido à ampliação das instalações, com a criação de duas novas salas (uma que se tornou a sala da Direcção, e outra dedicada ao ensino individual de música e de instrumentos) e de um espaço de arrumos mais funcional e fechado.